Medo de existir - conteúdo

O Bicho Papão

O Medo de existir é um caminho de solidão
Aquele que nos retrai do Amor, que nos dá sede, fome de viver.
Que nos enclausura, nos aprisiona, nos faz sentir pequenos e menores.
Que nos rouba a alegria, os sorrisos, o coração a transbordar.
Medo, porque existes?
Porque te alimento? Porque te dou vida?
O que os meus olhos vêem e o meu coração não sente
Olhos amargurados. Coração vazio.
Olhos embriagados de coragem e força. Coração puro.
Medo, abandona-me!
Quero-te fora de mim.
Quero ser expressão de Amor. Quero ser Vida. Ser alma livre num corpo de luz.
Quero ser Grito.
Grito de fúria. Grito de Raiva.
E o medo já não vive em mim.
Medo que caminhas sozinho, descansa em paz!
Vem a mim alma lusitana, expressão única da vida, que nutre, cuida, saboreia, sente e se alimenta de orgulho, de Existir.
Simplesmente sinto.
Simplesmente existo.
E deixo-me ir na imensidão de tudo aquilo que eu SOU para além do medo.