Medo de existir
Tema em exploração
Ir além do medo de existir!

Individualmente e enquanto povo e cultura, queremos ir além do medo de existir, do medo de ser feliz, do medo de ser livre, do medo que nos faz contrair, limitar, duvidar das nossas capacidades e não confiar nos outros e na Vida. Quando falamos em medo não nos referimos ao medo instintivo, tão necessário à nossa sobrevivência, mas ao medo emocional, ao medo egóico, ao medo auto-criado.

Seremos alguma vez realmente felizes a viver no medo? O que acontece sempre que escolhemos ir com o medo? E pelo contrário, o que acontece quando escolhemos não dar a nossa atenção ao medo?

O Medo de Existir aponta para a dimensão da Alma Portuguesa que ainda vive no medo. Um medo muitas vezes inconsciente, bem enraizado na nossa cultura, que nos mantém pequeninos, agindo como crianças que entregam o seu poder de decisão e escolha a outros. Evitamos esse medo quando criticamos os outros e o mundo, mas não agimos, não mostramos o nosso descontentamento, nem procuramos mudar o rumo dos acontecimentos. Será que queremos viver a Vida num constante medo de existir?

Mais do que nunca é urgente enfrentarmos este Medo! Não adianta negá-lo, pois isso não o resolve, nem o faz desaparecer. É importante senti-lo e permitir que se transforme em combustível que alimenta o fogo da nossa paixão e o desejo de mudar.

Entrevistas
Conteúdo