Ativismo:
Coração em Ação

Tema em exploração
Ao longo da história da humanidade, várias pessoas se uniram e entregaram para defender as mais variadas causas. Já pensaram como seria o mundo hoje, se pessoas como Martin Luther King ou Mahatma Gandhi não tivessem sido um exemplo, em nome de uma sociedade mais justa e mais humana.


Mas não precisamos ir tão longe para reconhecer o impacto de pequenas ações e como estas afetam o mundo. Quantos de nós não o sentiram num simples gesto de amor de alguém que nos faz sentir bem quando todos nos põem para baixo, ou alguém que pinta um quadro pela simples razão de trazer mais cor ao mundo, ou mesmo alguém que cria um negócio para fornecer comida a pessoas que passam fome, ou alguém que pela sua simples presença nos faz sentir bem e nos inspira a mudar de vida.


Será que não podemos considerar estas pessoas ativistas? Não será então o ativismo uma expressão pura do nosso Coração em ação?


MAS AFINAL QUEM SÃO OS ATIVISTAS?



Temos feito esta pergunta a nós próprios muitas vezes e refletido sobre o verdadeiro significado desta palavra. Chegamos sempre à conclusão que a essência do ativismo é ativar consciências, ousar seguir o nosso Coração e inspirar a humanidade a evoluir, através da nossa expressão genuína, espontânea e ativa. Ser ativista implica reconhecer a nossa força enquanto seres humanos, mas também enquanto seres divinos, e colocar essa força ao serviço da Humanidade.


Como podemos então explorar este ativismo?


A nossa experiência leva-nos a reconhecer, constantemente, que sempre que escolhemos estar em contacto com o Coração, existe uma força que nos alinha e orienta no sentido de descobrir como podemos contribuir para a evolução das consciências, individuais e coletiva. Reconhecemos também que o mundo é o reflexo das nossas ações e que cada escolha que fazemos conta para a tão necessária mudança.


Queremos explorar contigo as infinitas possibilidades que se querem manifestar neste preciso momento em ti e em nós. Por isso, convidamos-te a participar nesta exploração, a partir de um ponto de curiosidade, em descobrir o que está vivo nos Corações dos portugueses e a perceber porque temos tanta resistência a este tema.