Sobre Nós

Raquel Perdigão

Raquel 1

Sou Portuguesa, nascida há 37 anos no Porto. Nasci no seio de uma família que é a mistura perfeita da cidade e do campo. O meu pai, transmontano no seu coração e a minha mãe, citadina de um Porto tão belo, fizeram um ser feminino que hoje, e para sempre, caminha nos trilhos da transformação e na construção de um novo Mundo. Escolhi deixar um emprego de 13 anos e a minha casa na cidade para ser uma das Co-criadoras residentes no Awakened Life Project. Porque o que esta perspectiva evolucionária me trouxe até agora foi a liberdade que eu tanto ansiava. Uma liberdade expressa como mulher e que todos os dias me permite crescer e transformar os padrões pelos quais não quero mais viver.

Ricardo Gonçalves

ricardo.clara

Nasci e vivi quase toda a minha vida no Porto onde me licenciei em Biologia e trabalhei na área da Genética em Transplantação. Inspirado pelo Projecto Vida Desperta, e dando corpo a uma insatisfação interior demasiado intensa para ser suportada, despedi-me do meu emprego e iniciei uma nova jornada de vida. No início não foi fácil ouvir o que o meu coração almejava, pois estava demasiado habituado a fazer o que era esperado de mim pela família e sociedade, mas após um período de procura e disponibilidade para a mudança, aos poucos o Universo foi-me trazendo luz neste caminho de descoberta! Hoje vivo no campo, com esposa e filhos, e aprendo todos os dias a viver uma vida mais plena, integral e consciente. Sou co-fundador do projecto Vida em Transição e não sei o que me trará o amanhã, mas sinto-me cada vez mais confiante com o desconhecido e entrego a minha vida a uma vontade muito maior do que a minha…

Sara Silva

11205019_10152874978853137_2147539912097669119_n

Nasci em Braga, mas cresci em Barcelos entre o campo e a cidade. A vontade de cidades maiores, levou-me para o Porto onde vivi durante 12 anos. Pelo meio viajei bastante e 12 anos depois, sinto-me em casa onde quer que esteja. Em 2015 tornei-me co-criadora do Projecto Vida Desperta após uma relação de já 3 anos. Neste projecto e com estas pessoas re-descobri o mundo, as relações e a mim própria. Agora, refino diariamente os meus interesses e como pô-los em prática. Sinto-me em permanente mutação, lado a lado com aquilo que sinto que é o melhor que posso fazer em cada momento.

Ângela Rodrigues

Pessoa, mulher, portuguesa. Acho que me defino por inteiro na primeira, onde posso ser tudo, à boa maneira portuguesa! Inconformada com o estado das coisas, tenho-me visto a fazer escolhas pouco prováveis no último ano da minha vida – deixei o emprego certo como enfermeira num grande hospital público, troquei a casa de Lisboa por uma caravana e instalei-me numa comunidade de nome Avidanja. Aqui sinto mais a Vida, sinto-me mais a mim, sinto mais os outros. Descubro-me e recrio-me nesta partilha diária com outros humanos curiosos, apaixonados e amigos. Pela vontade de crescer, de entender, de cuidar da nossa Terra, de olhar para o que é isto de ser português, junto-me a este projecto, humilde e ambicioso, Evolusa. Não posso não tentar! Bolas, vale tanto a pena querer!

Pedro Morais

pedroM

Terapeuta de Shiatsu e instrutor de Yoga, Pedro dedica-se ao estudo e à prática de trabalho corporal com fins terapêuticos e como forma de crescimento e desenvolvimento pessoal. Com formação de base em Turismo, Hotelaria e Termalismo, a fase académica permitiu-lhe um primeiro contacto com os conceitos de saúde e bem-estar e com o meio natural. Viveu em Lisboa até Abril de 2015, altura em que faz a transição para o campo e vai viver para a comunidade Avidanja, com um conjunto de pessoas que partilha a visão de cocriar uma forma de vida consciente, sustentável e livre.

Sara Rocha

sararocha

Segundo me contam, já em pequena era uma criança muito observadora e curiosa. Hoje, este ímpeto traduz-se na vontade de viver livremente e de contribuir para a transformação social e ecológica dos lugares onde vivo, pois preocupa-me a destruição galopante dos ecossistemas e a manutenção das situações de injustiça. Vivo há cerca de 10 anos em Coimbra, onde me formei como assistente social e onde hoje trabalho na área do ensino e da investigação científica. Há 4 anos que sou parte da comunidade Vida Desperta, onde, para além de questionar as normas sociais e culturais que assimilei ao longo da vida, aprendo a aproximar-me, pelo meu próprio questionamento, do significado de ser um ser humano livre.

Pete Bampton

IMG_5933

Vivo em Portugal desde 2007 e sou originário do Reino Unido. Após estudar Literatura na Universidade de Londres, viajei pelo mundo durante muitos anos em busca de respostas para as questões mais profundas da vida: “Quem sou eu?” e “Porque estou aqui?”. Descobri a meditação num mosteiro budista numa floresta na Tailândia e tornei-me um praticante dedicado.  Eventualmente eu deixei o caminho budista e conheci um mestre americano radical. Passei treze anos a viver numa intensiva “experiência espiritual” dedicada ao questionamento sobre e à manifestação do significado e expressão da Iluminação Espiritual no contexto cultural ocidental. Em 2005, mudei de direcção e estabeleci-me na ilha de Ibiza, Espanha, onde vivi numa idílica quinta de permacultura com a minha esposa Cynthia durante dois anos. Aí explorei a minha emergente paixão para viver em ligação mais estreita com a Natureza e aprender sobre vida sustentável. A procura de terra com sol e chuva a um preço acessível trouxe-nos ao centro de Portugal em 2007 e cedo descobrimos e adquirimos uma quinta abandonada de montanha, a Quinta da Mizarela. Desde aí a quinta, agora chamado, Projecto Vida Desperta, desenvolveu-se numa  florescente comunidade de pessoas que partilham uma visão comum que está a catalizar um movimento mais alargado em Portugal dedicado à evolução da consciência e à cultura em comunhão na teia ecológica da vida. À medida que o Projecto se desenvolveu e mais pessoas se juntaram, comecei a ensinar Espiritualidade Evolucionária Integral em Portugal e a dirigir mensalmente Retiros de Meditação. Desta experiência surgiu uma nova paixão, que é a de despertar os portugueses para as raras qualidades espirituais latentes na Alma da Lusitânia (“Terra da luz”), e inspirou a criação de esta iniciativa, EvoLusa.